segunda-feira, 13 de outubro de 2008

"Sem dúvida. Se puder, vou ajudar o Massa."


Muito se falou e muitas mudanças foram feitas para aumentar a emoção e as ultrapassagens na maior categoria do automobilismo, mas provavelmente o fato que tenha provocado a maior mudança na Fórmula 1 nos últimos anos foi a chegada de Fernando Alonso, com seu bicampeonato mundial que deu fim à fantástica hegemonia de Michael Schumacher. Talvez gênio seja adjetivo demais para o espanhol, mas seus feitos são consideráveis: vencer o campeonato por duas vezes consecutivas com o alemão ainda em atividade já o credenciaria como um grande piloto, mas depois dos desentendimentos na McLaren e da volta para Renault de Flavio Briatore (clique e veja como o dinheiro faz mágica!), o marrento provou definitivamente que entrará para a história da F1 ao levar um dos piores carros no começo da temporada para duas vitórias consecutivas, no extremamente técnico circuito de Cingapura, onde ele esbanjou categoria e no Japão nesse domingo. Não sei até que ponto a excelente capacidade dele em acertar carros tenha contribuído, mas a Renault demonstrou uma evolução muito boa no decorrer da temporada. Da falta de empatia ao vê-lo derrubar um ídolo e das declarações excessivamente marrentas que me faziam repudiá-lo, o espanhol me faz voltar atrás e reconhecer o tamanho de seu talento e de sua técnica. Se já não bastasse tantos atributos para me convencer, Alonso proferiu a frase título do post na coletiva após sua vitória e ressaltou sua enorme desavença com Lewis Hamilton ao dizer que prefere o brasileiro campeão e que até o ajudaria se houvesse uma chance. Agora vai! Quanto aos dois últimos resultados, mesmo considerando que muitos eventos atípicos ocorreram em ambas as corridas, não podemos desprezar que a tônica desse campeonato foi o equilíbrio e que nunca houve, pelo menos nos últimos dez anos, tantos candidatos à vitórias como agora, com a BMW buscando seu espaço entre as grandes, e revelações surgindo e se consolidando rapidamente como Vettel e Bourdais.
No GP do Japão, disputado no circuito de Monte Fuji, não faltou emoção, com muitas punições, algumas lambanças e uma recuperação incrível de Massa, que realizou ultrapassagens sensacionais no fim da corrida. Hamilton largou mal, e, comprovando o que tem sido dito pelos outros pilotos na imprensa europeia, foi agressivo demais e acabou punido por jogar Raikkonen para fora da pista na primeira curva. Massa também recebeu punição, por tocar em Hamilton, mas o brasileiro recuperou-se muito bem, enquanto o inglês terminou a corrida apenas no décimo segundo lugar. O piloto brasileiro conseguiu reduzir a diferença para apenas 5 pontos, beneficiado pela punição dada a Bourdais, que havia terminado em sétimo.
Duas corridas para sabermos quem levará o título, e Massa volta com tudo à disputa, tentando dar um título para o país desde Senna em 1991. Longe, muito longe de uma comparação entre os dois, mas a mera possibilidade do título mundial retornar ao Brasil me faz esquecer aquela genialidade que tanto falta ao piloto da Ferrari. Próximo encontro na China, com a promessa de muita agressividade, muitas curvas divididas e tomara que muitos pontos para Felipe.

Um comentário:

fjmarcal5 disse...

E vai dar Lewis!!!!! Pois a S F demorou muito para dar prioridade ao Massa e tambem é F1, pois se fosse na fórmula Indy a coisa seria diferente!!!!! VIVA a formula da emoção.http://www.speedway.com.br/site/irl/noticias/noticia_integra.asp?id=32494 Ps quando a formula 1 teve uma chegada dessa forma??