sábado, 13 de setembro de 2008

Salvando o ano


2008 não se mostrou um bom ano para o torcedor Guilherme: o tricolor não está nada bem no brasileiro depois de decepcionar na Libertadores; os Jogos Olímpicos, mesmo com todo o sucesso da organização e com tantos recordes quebrados foi um desastre para a delegação verde e amarela (do Brasil, porque o verde e amarelo jamaicano brilhou e correu como nunca); a lenda Roger Federer esteve muito abaixo do seu potencial no decorrer da temporada e mesmo com o massacre sobre Murray na final do US Open e com o recorde de Sampras se aproximando (só falta 1 GS) a diferença para o espanhol no ranking de entradas só aumenta.
Para coroar esse ano de tragédias, no GP da Hungria Felipe Massa liderava quando seu motor explodiu a três voltas do fim: seria mais um desastre? Até o momento não, porque pelo menos em alguma modalidade a sorte tem que sorrir para os meus preferidos, e ela vem abrindo um largo sorriso para o brasileiro em seu bólido vermelho: na corrida mais emocionante do ano, sob chuva nas cinco voltas finais, Massa era terceiro e simplesmente conduzia seu brinquedo no sabão de Spa-Francorchamps (no circuito mais bonito da temporada depois das mudanças em Hockenheim) quando a batalha pela liderança entre Raikkonen - que acabou batendo e estragando um fim de semana impecável até então - e Hamilton terminou com uma punição de 25 segundos ao afoito piloto britânico, que viu sua vitória ir por água por abaixo assim como sua vantagem no mundial de pilotos , que agora é de apenas 2 pontos.
E parece que a maré de sorte do brasileiro não parou por aí: saindo da Eau Rouge para a Parabólica, na casa da Scuderia Ferrari, um treino de classificação disputado sob um enorme dilúvio premiou a boa semana do talentoso Sebastian Vettel, primeira pole na curta carreira de 22 corridas com apenas 21 anos. Contudo, o destaque do sábado em Monza não foi a jovem revelação alemã, nem tampouco a presença de Schummy no pit lane, mas a dificuldade das equipes de ponta em acertar os carros para o temporal: Raikkonen em 14º e Hamilton em 15º nem sequer disputaram a última parte do treino, enquanto Massa fez um excelente 6º tempo, uma terceira fila sensacional dadas as circunstâncias. Tudo indica que amanhã a chuva não dará trégua, o que é prenúncio de outra grande corrida, apesar das altas velocidades do circuito italiano serem melhor exploradas com pista seca.
Com ou sem chuva, esta é a grande chance de Massa, que terá o apoio dos fanáticos tifozzi e a vantagem de ver seu principal adversário largando na oitava fila. Tem que ser agora, FORZA FERRARI, vamos pro título!!!

Adendo: fantástico o desempenho brasileiro nas Paraolimpíadas: as 31 medalhas conquistadas até aqui, sendo 12 de ouro, demosntram que existe incentivo para o esporte no Brasil, ainda que de maneira um tanto precária. Pena que esse reflexo só apareceu agora, com nossos deficientes dando um exemplo de superação. Poderia ter sido assim na Olímpiada, mas, paciência. Em Londres tem mais, ou talvez menos...

2 comentários:

fjmarcal5 disse...

Salvando o ano no automobilismo são os brasileiros na formula Indy, a formula da emoção!!!!!!!!!!

fjmarcal5 disse...

E para não dizer que eu não falei, o tal do Massa no final vai ficar em segundo ou seja, vai dar umas das cores da bandeira do Brasil.......... ele Vai amarelar!!!!!!!!!!